Adoro ouvir histórias de brasileiros que deram certo no Canadá! Mas na verdade, ninguém “dá certo” por acaso. Quando você tem a oportunidade de conhecer um pouco mais de perto essas pessoas, você logo percebe que foi preciso muito esforço pra pessoa chegar onde chegou e que ainda há muito mais pra conquistar e batalhar.

Um dos meus objetivos com o blog é revelar justamente algumas histórias para me inspirar outras pessoas que também têm o desejo de morar no Canadá. Cada história é única. Cada um trilhou de certa forma seu próprio caminho, ainda que existisse um plano comum que cabia à muitos. Por isso é bom estar sempre bem informado, para poder customizar seu plano de imigração. Imprevistos podem surgir e oportunidades também!

Felipe Faccioli, um dos sócios do restaurante especializado em cozinha sul-americana, Mata Petisco Bar, está há 9 anos no Canadá e chegou aqui com o intuito de aprimorar o inglês à medida que aplicava para o Skilled Worker Program (processo federal de imigração para profissionais qualificados), já que era formado em biologia. Chegando aqui viu que poderia fazer um mestrado na área ou cursar outra coisa diferente enquanto esperava pelo permanent resident visa. Com algumas referências familiares e curioso por gastronomia, logo que provou a poutine* pela primeira vez pensou “Meu, imagina comer uma poutine de mandioca?!“, rs. Então optou pelo curso de chef de cozinha pela George Brown sem pretensão de que fosse abrir seu próprio negócio um dia, mas mais pra ganhar tempo, poder trabalhar e até mesmo como uma forma de garantir que não ficasse sem nenhuma opção, caso o plano de imigração pelo SWP não desse certo, pois o processo mudava a toda hora. Felizmente ele foi aceito e recebeu o PR no final do curso.

Porém, nesse meio tempo, ele já estava trabalhando na área. Já tinha seus contatos profissionais e já estava totalmente envolvido em gastronomia. Aprendeu com chefes antigos o que fazer e o que NÃO fazer. Após algumas frustrações com alguns deles foi surgindo a vontade de fazer algo melhor, da sua maneira, ou seja, criar seu próprio negócio. Foi aí que ele chamou algumas pessoas próximas que também tinham esse mesmo sonho pra se juntarem e investirem nesse projeto. Conseguiu juntar algumas, mas que aos poucos foram saindo e no final restaram apenas 3 sócios, ele e seus amigos Túlio e Steve. Criaram um plano de negócios e ficaram chocados com o valor necessário para se montar um restaurante. Foram até o banco pedir um empréstimo com esse mesmo plano de negócios mas infelizmente o histórico de crédito teria que ser tão alto quanto o valor que eles pretendiam emprestar e além do mais, o índice de restaurantes que fecham no primeiro ano é considerado muito grande, muito arriscado, portanto. Com muita “cara de pau” Felipe e os sócios foram atrás de investidores que acreditassem no potencial do negócio e, finalmente conseguiram achar quem colocasse mais dinheiro, além do que eles já estavam colocando dos seus próprios bolsos. Segundo ele mesmo, é preciso ser shameless pra abrir seu próprio negócio, pois você vai precisar dar muito a cara pra bater.

Dinheiro em caixa, começaram a busca por lugares pra comprar e acharam um ponto ótimo na 1690 Queen St. West onde estão até hoje. Contaram com a ajuda de amigos pra montar o restaurante, conseguiram fazer tudo em tempo record e com muito empenho não perderam nenhum prazo. Ele nem se lembra mais de quantos documentos precisou ir atrás, de tanto que tinha. Mas ressalta que o mais importante é colocar prioridades, partir pra ação e não perder tempo. Tiveram a felicidade de inaugurar justamente no primeiro dia da Copa do Mundo no Brasil, em 2014!

De lá pra cá, muito trabalho foi dedicado. Todo mundo faz muito de tudo! Desde a criação dos pratos até os “pequenos reparos” que o restaurante exige, fora a administração financeira do negócio. Felipe ainda lembra que é preciso fazer contas rápidas, como levantar custos e não se vislumbrar acreditando que o seu produto é bom o suficiente pra pagar todas as suas contas só porque ele é bom. Não que acreditar no seu produto não seja importante, mas só isso não garante que você vai ter sucesso. Contar com a sorte não é uma opção! É preciso ter em mente o quanto custa a sua operação pra você saber chegar num número onde  você consiga obter o lucro. E a partir da aí, você tem uma meta pra correr atrás, e é isso que vai te mover. Ser dono, ou no caso, sócio de um negócio exige muito tempo de dedicação, trabalho, aprendizado, dinheiro e paciência.

A experiência se tornou a melhor ferramenta para se driblar os obstáculos que são outros, mas que existem até hoje. A medida que o tempo passa, o que antes exigia muito trabalho, hoje já está sendo dominado. Mas também temos que dar crédito àquela vontade inicial, não fosse ela, nada disso existiria. Empreender é surpreender-se!

Felipe Faccioli, um dos sócios fundadores e chefs do restaurante Mata Petisco Bar, em Toronto, Canadá.

Felipe Faccioli, um dos sócios fundadores e chefs do restaurante Mata Petisco Bar, em Toronto, Canadá.

MATA PETISCO BAR

Perfeito para comemorar datas especiais ou simplesmente apreciar um menu diferente, que a cada temporada se renova! Em um ambiente super gostoso, uma mistura de Canadá e América do Sul, você encontra pratos especialmente criados pelos chefs da casa! Apesar de não ser exclusivamente um restaurante de comidas brasileiras, sofre uma certa influência e você pode descobrir um Brasil ainda pouco explorado!

MADE IN BRASIL FOOD TRUCK by MATA

A história do Food Truck é bem bacana! Participaram de um programa de TV chamado “Food Truck Face Off“, uma competição de chefs de cozinha que aconteceu aqui em Toronto em 2014. Chegaram a questionar se deveriam se expor dessa maneira, afinal dois dos sócios nem canadenses eram e, além do mais, estavam inaugurando o restaurante. Ouviram o conselho de uma amiga que os encorajou e disse “Participem. Vão com a mentalidade de que vocês podem ganhar. Ainda que vocês percam, irão lembrar de vocês“. O resultado é que eles não só ganharam a competição como levaram o prêmio do caminhão, ou melhor, do Food Truck, o que tem lhes permitido participar de feiras e eventos por toda a cidade desde então! Acho muito engraçado como cada decisão importa e como às vezes, o medo nos impede de crescer. Ouvir pessoas que nos encorajam e nos expor fazem total diferença para alcançarmos nossos objetivos.

A proposta é um pouco diferente da que eles seguem no restaurante, com pratos mais simples. Uma forma de diversificar o negócio e ao mesmo tempo chamar a atenção das pessoas para experimentarem os sabores da América do Sul!

Se você quiser conhecer mais sobre o trabalho desses meninos empreendedores, entre no site do Mata Petisco Bar e se não resistir, vá conferir de perto! Quem já foi, pode deixar aqui seus comentários!!!

Terça à Quinta: 5:00 pm – 10:00 pm
Sexta: 5:00 pm – 11:00 pm
Sáb: 11:00 am – 11:00 pm
Dom: 11:00 am – 9:00 pm
Segunda: Fechado.

1690 Queen St West (Final da Queen – lado Oeste).

Tel. 647.691.0234 • info@matabar.ca – www.matabar.com

*Poutine: Prato tipicamente canadense feito a base de batata frita com um molho gravy e queijo por cima.