No meu último post, escrevi sobre as mudanças que ocorrerão no processo de seleção, Express Entry, a partir de 19 de novembro de 2016.

Aí, ficou a dúvida. Essa mudança foi pra melhor ou pra pior? Claro que vai depender do perfil de cada um, mas de um modo geral, podemos considerar alguns cenários possíveis:

LMIA

Depois do dia 19 de novembro, quem tem LMIA não soma mais 600 pontos, ou seja, perde 550 pontos logo de cara. Só com esses pontos a pessoa já estava acima da nota de corte.

Quem tiver um LMIA dentro do NOC “00” ainda vale a pena, pois consegue somar 200 pontos. Para o restante das pessoas que tem o LMIA dentro dos NOCs 0/A/B ele irá valer apenas 50 pontos.

Quem estiver com uma pontuação boa e só estiver precisando de um plus, vale a pena de repente correr atrás de um LMIA pra ganhar 50 pontos. Mas como todo mundo sabe, não é simples consegui-lo.

Outro ponto importante é que como já não vale a pena ir atrás de um LMIA pra grande maioria das pessoas, o número de aplicações para processos provinciais vai aumentar muito, tornando essa alternativa mais acirrada, pois Províncias como BC e ON tem uma cota extremamente pequena perto da demanda e por isso mesmo, costumam negar vários pedidos.

HABILIDADES TRANSFERÍVEIS – Educação.

Quanto a quem estuda no país e já tem alguma habilidade transferível de EDUCAÇÃO, pode no máximo aumentar 17 pontos no melhor dos cenários, uma vez que quem tem “faculdade de 1 ano ou mais + CLB do principal idioma igual à 7 em pelo menos três habilidades e maior que 7 em pelo menos uma”, já soma 13 pontos, portanto o candidato que vier fazer uma pós ou um curso de 2 anos poderá optar por trocar de habilidade, passando de 13 pra 15 pontos, um ganho de apenas 2 pontos. Se optar por fazer um curso superior de 3 anos ou mais, poderá subir de 13 pra 30, ou seja apenas 17 pontos a mais no total.

Já quem não tem nenhuma habilidade transferível dentro de EDUCAÇÃO, aí sím, pode conseguir de 15 à 30 pontos.

Casais que vem com intenção de aplicar pelo CEC (Canadian Experience Class) muito provavelmente não ganhariam esses 15 pontos extras pois na sua grande maioria quem estuda não entra como requerente principal, pois à medida que os anos passam, você perde 5 pontos. Esperar terminar o curso, entrar no mercado de trabalho e conseguir a experiência canadense leva tempo e diminui sua pontuação.

Não devemos esquecer que houve também um salto enorme do números de imigrantes esperados para os próximos anos para 300.000, o que pode fazer com que a nota de corte caia. Vamos esperar pra ver.

E você? Qual foi sua percepção sobre as mudanças no processo? No final das contas, elas te favoreceram ou prejudicaram?

Se você ainda não sabe quantos pontos você pode somar, baixe sua PLANILHA EXPRESS e faça simulações instantâneas com projeções de pontos.