Já ouviu aquela expressão “Já que está no inferno, abrace o capeta”? Pois bem, aqui no Canadá é impossível você não se deixar seduzir pelo Halloween, pois as cidades todas se preparam muito pra isso! O Halloween é tão forte que eles levam essa tradição pra vida adulta!

No ano passado, nosso primeiro ano aqui, saímos pelas ruas à noite pra acompanhar a caça às bruxas, ou melhor, a caça aos doces. Havia muitas crianças andando em grupos pelas ruas, todas vestidas com as mais engraçadas fantasias, batendo de porta em porta, ameaçando com a frase “doces ou travessuras”.

Os adultos, além de gastarem um bom dinheiro com a decoração das fachadas das casas, muitos deles estavam esperando fantasiados as crianças chegarem pra atender a porta e entregar as balas e chocolates. E vendo tudo isso, me perguntei… qual o motivo por trás de tudo isso?

Apesar de dizerem “treat or trick”, nenhuma criança estava a fim de fazer travessuras. Estavam mais interessadas em ganhar os doces. Alguns pais acompanhavam seus filhos, de longe, dando espaço para que eles tomassem frente e encarassem o desafio de bater na porta de um estranho e fazer uma das suas primeiras negociações. Por mais ingênuo que possa parecer, pra uma criança, ter que conversar com alguém mais velho e pedir algo, pode ser muito desafiador. E quantas vezes nós, adultos, não nos sentimos na mesma situação? Talvez com uma fantasia fosse mais fácil!

Presenciei outros casos, em outras datas comemorativas, como a páscoa por exemplo, onde as crianças eram encorajadas a se juntar à um adulto, de preferência não sendo um conhecido, para os ajudarem a procurar ovinhos de chocolate pela casa.

Acho o máximo dos pais terem esse tipo de atitude de preparar os filhos pra uma vida onde irão aparecer desafios, muitos deles relacionados à experiências interpessoais. Já sofri muito por ser tímida e sei o quão difícil é conseguir coisas simples, simplesmente pelo fato de ter receio de falar com outra pessoa.

Nunca fui de curtir o Halloween no Brasil, mas estando aqui e vendo o que vi, posso dizer que passei a gostar mais dessa data.

Não é à toa que por aqui não só crianças comemoram o Halloween, mas os adultos também. Inclusive eu!